Home Artigos Síndrome urológica: uma ameaça para os gatos

Se seu gato está acima do peso ideal, faz poucos exercícios físicos e tem uma alimentação muito seca, cuidado! Seu felino corre um sério risco de contrair a Síndrome Urológica Felina (SUF), que atinge a cerca de 1% dos animais, sobretudo, aqueles na faixa etária entre dois e seis anos de vida.  A doença é mais frequente nos machos.

Apesar de as causas serem muito debatidas pelos veterinários, a SUF está relacionada a um conjunto de problemas inflamatórios no sistema urinário dos gatos, especificamente a cistite – inflamação na bexiga. A existência de cálculos, infecção bacteriana ou viral de origem urinária também estão relacionadas à SUF.

Como os gatos são, normalmente, ariscos e introspectivos, é preciso ficar bem atento ao seu comportamento para detectar logo o problema. Dores intensas ao urinar, ausência de micção; traços de sangue na urina; ou pouca urina são bons indícios da doença.

Embora considerada de fácil tratamento, a SUF, se não for logo identificada, pode colocar em risco a vida do animal. A doença exige um tratamento rápido. E para isso o animal precisa passar logo pela avaliação do veterinário.

O primeiro passo, claro, é fazer o felino eliminar a urina retida. Massagens abdominais ou uso de sonda uretral podem ajudar no processo de eliminação. Neste segundo caso, às vezes, é necessário usar a anestesia, uma vez que o canal uretral dos gatos é muito estreito. Em casos mais crônicos, é preciso fazer uma cirurgia.

E o que fazer para evitar o problema? Além de estimular a prática de exercícios constante, é preciso trocar várias vezes por dia a água, sempre limpa, oferecida ao animal. Outro cuidado está na alimentação. Neste caso, evite usar rações que contenham acidificantes ou índices elevados de magnésio.

Deixe um Comentário

Anuncie grátis!

OS MAIS VISTOS

2 35634

As imagens são vistas com certa frequência nos postes e muros de ruas, praças e avenidas. Normalmente, uma cópia de xerox preta e branco...