Home Artigos Entrevistas Tecnologia a serviço da saúde dos pets

Sempre bem colocada nos indicadores de desenvolvimento e de qualidade de vida no país, Niterói ganha nesta terça-feira, dia 20 de janeiro, um novo diferencial. Depois de Copacabana e da Barra da Tijuca, a CRV Imagem, especializada em exames de imagens para a área veterinária, inaugura sua primeira unidade fora do Rio de Janeiro, que fica no bairro de Icaraí.

A clínica terá estrutura similar à das outras duas unidades para realizar exames de radiologia digital, ultrassonografia Doppler, ecocardiografia e tomografia computadorizada, cuja a procura vem crescendo no Rio de Janeiro.

“Esses exames trazem precisão e rapidez no diagnóstico e no tratamento. Isso muitas vezes é a diferença necessária para salvar uma vida”, observa o médico veterinário, Alex Adeodato, diretor geral da CRV Imagem. Nestea entrevista exclusiva ao PetShop-RJ, Adeodato fala das vantagens dessas tecnologias. O telefone da clínica é  (21) 2710-5552.

O que representa a inauguração desta terceira unidade, esta agora em Icaraí (Niterói), para o crescimento da CRV Imagem?

Icaraí é a primeira unidade do CRV Imagem fora do município do Rio de Janeiro. Isso tem sido um desafio muito grande. Mesmo sendo no mesmo estado, já notamos diferenças culturais, logísticas, etc. Estamos aprendendo muito.

Por que abrir esta terceira unidade em Niterói?

Niterói tem sido constantemente citada como uma cidade com altos índices de desenvolvimento e qualidade de vida no país. Na prática, eu diria que é simplesmente um lugar delicioso para morar, visitar e pelo visto, para se investir.

É possível comparar a estrutura desta nova unidade com a das localizadas em Copacabana e na Barra?

Essa nova unidade tem as mesmas modalidades de exames que as outras: radiologia digital, ultrassonografia Doppler, ecocardiografia e tomografia computadorizada. A diferença está na forma de integração de todo o sistema de obtenção e armazenamento dessas informações. Pela primeira vez estamos com todo o sistema rodando na nuvem, o que gera mais segurança para todos.

Quais são as expectativas em relação à procura por este tipo de serviço nesta região?

Até ontem, os pacientes precisavam ir ao Rio de Janeiro para realizar alguns exames de imagem avançados para orientação dos tratamentos. Por ser o primeiro serviço de tomografia computadorizada da região, acreditamos que a procura deverá ser bastante alta.

De uma forma geral, como é a procura por estes serviços especializados aqui no Rio de Janeiro? Eles estão em crescimento?

A procura vem crescendo. O uso de exames por imagem avançados permite um desenvolvimento de subespecialidades clinicas e cirúrgicas que consequentemente aumentam a demanda por esses diagnósticos. O resultado desse desenvolvimento gera como consequência final uma medicina veterinária mais preparada para tratar e dar qualidade de vida para um número muito maior de pacientes.

Exames de imagem como a tomografia computadorizada, a radiologia digital e a ultrassonografia Doppler carregam uma alta dose de tecnologia. O que o uso dessas tecnologias garantem na hora de diagnosticar uma enfermidade no animal?

Precisão e rapidez no diagnóstico e tratamento. Isso muitas vezes é a diferença necessária para salvar uma vida.

Em termos de estado da arte nos exames de imagem essas são as principais tecnologias?

Um equipamento de ressonância magnética de alto campo acabou de ser comprado com previsão de início de funcionamento no segundo semestre de 2015. Com ele, o Rio de Janeiro entra na ponta tecnológica da medicina veterinária, juntamente com qualquer grande centro dos EUA e Reino Unido.

O que a indústria tem feito em termos de evolução para dar ainda mais precisão a estes tipos de exames?

Nos últimos anos a indústria começou a olhar o mercado da medicina veterinária como uma oportunidade de nicho de mercado. Aos poucos, começamos a ter modelos de equipamentos, softwares e condições de negócio voltados para o uso em animais. Há uma enorme diferença entre os modelos de negócios em saúde humana e animal. O entendimento e adequação de todos é fundamental para o crescimento do mercado.

Por exemplo, no caso da tomografia computadorizada, ela é indicada para que tipo de diagnóstico?

O exame de tomografia computadorizada é baseado em feixes de RX que atravessam o corpo do paciente até encontrar um detector. Essa informações de atenuação são trabalhadas em um computador para gerar imagens em três dimensões. Existe um universo de indicações para essa modalidade de diagnóstico, mas resumidamente podemos dizer que os pacientes com problemas oncológicos, neurológicos, ortopédicos e que necessitem de cirurgias mais complicadas são os mais beneficiados.

Que vantagens ela oferece?

A reconstrução das imagens geradas no computador permite a análise de “fatias” do corpo do paciente. Não há sobreposição de estruturas como acontece em outras modalidades de imagem como RX e US. Algumas ferramentas de análise permitem ainda a detecção precoce de problemas bem pequenos e/ou complexos de forma precoce, permitindo um tratamento com maior chance de sucesso.

De uma forma geral, estas três tecnologias oferecem que nível de assertividade para os exames?

Os exames de imagem são complementares à avaliação clínica e entre si. Quanto maior o conhecimento dos médicos veterinários sobre a utilidade, vantagens e limitações de cada modalidade de diagnóstico, maior a assertividade. O importante é que os médicos tenham todas elas disponíveis e, com isso, possam discutir com os radiologistas a melhor estratégia para cada caso individualmente.

Deixe um Comentário

Anuncie grátis!

OS MAIS VISTOS

2 35026

As imagens são vistas com certa frequência nos postes e muros de ruas, praças e avenidas. Normalmente, uma cópia de xerox preta e branco...