Home Artigos Recursos hídricos: a contribuição da Medicina Veterinária

Em todo o mundo, o dia 22 de março, domingo passado, foi pautado por discussões sobre o uso consciente dos recursos hídricos. Criado pela Organização das Nações Unidas e celebrado desde 1993, o Dia Mundial da Água terá como tema, este ano, a “Água e Desenvolvimento Sustentável”. A preservação e eficiência no uso dos recursos hídricos são fundamentais para garantir a segurança alimentar. E diante de um cenário de “crise hídrica”, médicos veterinários e zootecnistas são fundamentais para garantir a sustentabilidade da produção.

O presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária, Benedito Fortes de Arruda, destaca o papel desses profissionais. “O médico veterinário e o zootecnista garantem um equilíbrio natural entre o homem, o animal e a natureza. Dessa forma, todos podem conviver harmonicamente, satisfazendo suas necessidades básicas com o mínimo de impacto ao ecossistema”, explica.

Essencial para os animais nas propriedades rurais, a água também tem papel fundamental na limpeza de estabelecimentos industriais, como matadouros e frigoríficos. “Se a água não for de qualidade pode-se contaminar os alimentos e, como consequência, gerar uma contaminação generalizada de todos aqueles que consumirem esses produtos”, afirma Arruda.

Dentro das diferentes áreas de atuação – como responsáveis técnicos ou realizando inspeções – os médicos veterinários garantem o uso correto dos recursos hídricos dentro desses estabelecimentos. “Na lavagem da carne de aves, suínos e bovinos, é preciso um cuidado com a água utilizada. É um dos principais momentos que o profissional trabalha em busca da qualidade do alimento”, afirma.

Benedito Fortes de Arruda ressalta a importância da devolução correta da água para a natureza utilizando boas práticas para evitar que os dejetos contaminem o lençol freático ou se transformem em mecanismo de transmissão de doenças.

O presidente do CFMV também destaca a responsabilidade do meio acadêmico na formação de profissionais de Medicina Veterinária e Zootecnia, alertando para a importância de estarem sempre atualizados quanto às necessidades impostas pela sociedade e preparados para lidar com as questões ambientais da atualidade.

“O Sistema Conselho Federal e Conselhos Regionais de Medicina Veterinária promove a capacitação dos profissionais, por meio de cursos de reciclagem, seminários de ensino, palestras etc, para que os colegas possam estar preparados para enfrentar as novas questões da profissão e a sociedade possar eceber profissionais com qualidade”, diz Arruda.

Águas poluídas e contaminadas podem elevar o custo de produção da proteína animal, diminuindo a renda do produtor e tendo efeito também para o consumidor final que terá que pagar mais caro pelo consumo de carne e leite, por exemplo. Além disso, a ingestão de água e alimentos contaminados pode ser fator de risco à saúde da população.

Fonte: CFMV

Deixe um Comentário

Anuncie grátis!

OS MAIS VISTOS

2 32187

As imagens são vistas com certa frequência nos postes e muros de ruas, praças e avenidas. Normalmente, uma cópia de xerox preta e branco...