Home Artigos Pets precisam de preparação para a chegada de um bebê

A chegada de um novo membro na família traz muitas mudanças na casa, se houver um cão ou um gato no território, ainda mais. Os pets sentem a mudança mais emocionalmente e podem se enciumar com o bebê, que passa a ser o novo centro das atenções.

Dessa forma, é preciso prepará-lo para aceitar bem essa nova fase e assim como os familiares, alegrar-se com essa bela notícia.

A veterinária Rúbia Burnier, especialista em comportamento animal, conta que os felinos, naturalmente mais independentes, percebem a mudança com antecedência e dão sinais de que já sabem que algo ficará diferente, como miados fora de contexto e isolamento. Já com os cães, que são seres mais apegados, a situação fica um pouco mais complicada.

Sem traumas, é possível finalizar os preparativos do bebê e lidar com os bichinhos ao mesmo tempo, para que haja uma convivência harmônica no lar.

Para os cachorros:

Colocar indícios pela casa para que se acostume é um bom começo. O carrinho de bebê na sala e cheiro de talco pelo ar, sutilmente vai se tornando normal para o cão. Simular o ritual de ninar com uma boneca e deixar o cachorro cheirar a barriga da grávida também é muito útil, quanto mais estímulos sensoriais ligados a criança, mais fácil será de habitua-lo.

Para ensiná-lo restrições, um portãozinho na porta do quarto do bebê o fará observar, sem entrar. Lembrando que quando o bebê se instalar é preciso evitar que o cãozinho o lamba ou toque, pois recém nascidos são muito vulneráveis e a higiene deve ser levada a sério.

Passeios e brincadeiras com o cãozinho enriquecem a rotina e estimulam a socialização, enquanto ele se diverte.

No dia do parto, o cachorro deve ficar com alguém com quem tenha afinidade e esperar ser convidado a conhecer o novo membro da família. Nas primeiras semanas, deixar alguma meia ou fraldinha com cheiro do bebê perto do potinho de ração, faz com que o cão associe o novo membro como algo normal e positivo.

Principalmente, é necessário que seja reservado pelo menos 15 minutos do dia para ficar com seu cachorro. Isso traz segurança e mostra que ele ainda é amado e não será substituído.

Para os gatos:

Assim como para os cães, colocar algo do bebê perto de seu ambiente reforça a associação positiva ao novo integrante.

Espalhar os objetos do bebê pela casa também naturaliza a situação, contudo, próximo à chegada do pequeno, ensine o gatinho a não subir nos pertences dele. Para isso, um borrifador com água pode ajudar. Evite deixar essas lições para depois do nascimento, pois ele pode associar as proibições ao novo membro.

Quando o bebê chegar, deixe que o gato se aproxime e cheire a criança sob supervisão, assim ele elimina a curiosidade e o interesse do bichinho pode até diminuir. É necessário muita atenção para que ele não arranhe ou morda.

Se o felino parar de comer ou demonstrar agressividade e isolamento por longos períodos, a ajuda de um veterinário será indispensável.

Deixe um Comentário

Anuncie grátis!

OS MAIS VISTOS

2 34948

As imagens são vistas com certa frequência nos postes e muros de ruas, praças e avenidas. Normalmente, uma cópia de xerox preta e branco...