Home Artigos Pesquisa estuda enfermidade que afeta cavalos Quarto de Milha

Em 2014, a equipe do professor Alexandre Secorun Borges, do Departamento de Clínica Veterinária da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp, câmpus de Botucatu, publicou três estudos paralelos sobre a Astenia Dérmica Regional Hereditária Equina ou Herda (do inglês “Hereditary Equine Regional Dermal Asthenia”). Os estudos, desenvolvidos entre 2010 e 2013, fizeram parte da tese de doutorado de Peres Ramos Badial e foram financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Os trabalhos foram realizados em colaboração com pesquisadores da Universidade de Cornell nos Estados Unidos, da Universidade de Viçosa em Minas Gerais do Laboratório de Biologia Molecular do Departamento de Clínica Veterinária da FMVZ/Unesp em conjunto com o professor José Paes de Oliveira Filho e com os Departamentos de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária e Reprodução Animal e Radiologia Veterinária.

A Herda é um tipo de astenia cutânea que afeta cavalos da raça Quarto de Milha. Sua causa é uma mutação pontual no gene PPIB, que afeta negativamente a biossíntese do colágeno.

Os sinais clínicos são observados principalmente ao longo das regiões dorsais da pele dos animais afetados, incluindo: pele frouxa, fina, frágil e que lacera facilmente após o menor trauma, podendo formar extensas cicatrizes. A doença não oferece riscos diretos à vida dos cavalos afetados. Todavia, os animais apresentam lacerações cutâneas frequentes que devem ser manejadas adequadamente.

Na Unesp – A iniciativa de pesquisar esta enfermidade começou por volta de 2002, quando três cavalos foram diagnosticados com HERDA nos Serviços de Clinica de Grandes Animais e Cirurgia de Grandes Animais do Hospital Veterinário da FMVZ. A série de casos culminou com a publicação de um artigo científico no periódico “Veterinary Dermatology” em abril de 2005 , caracterizando as alterações clínicas e histopatológicas observadas nesses animais. Este relato reuniu os primeiros casos da doença na América do Sul e foi artigo de capa daquela edição.

Devido ao caráter inédito da doença na América do Sul e escassez de informações na literatura, o professor Borges vislumbrou a possibilidade de investigar mais a fundo alguns de seus aspectos clínicos e padronizar ferramentas de diagnóstico. Esses trabalhos se tornaram viáveis devido à doação de animais afetados ao longo do tempo para a FMVZ, em acordos realizados entre os proprietários e o docente.

“A Faculdade e o Hospital Veterinário compreenderam a importância da doença e sempre colaboraram para os processos de recebimento, manutenção e bem-estar destes animais ao longo dos anos”, diz o professor Alexandre Borges. A Fapesp apoiou a série de estudos na forma de auxílio regular a pesquisa e bolsa de doutorado.

As pesquisas envolveram a caracterização clínica e morfológica da Herda, padronização de diagnóstico molecular utilizando a técnica de “High Resolution Melting” e o estudo da frequência de animais portadores do gene mutante. Estes aspectos foram selecionados pelo grupo do professor Borges com o objetivo de ampliar o conhecimento das alterações clínicas que a enfermidade gera.

Em 2014, um artigo foi publicado no periódico científico “The Veterinary Journal” e envolveu a padronização de diagnóstico molecular e investigação da presença do alelo mutante em aproximadamente 700 cavalos.

Os resultados clínicos obtidos foram publicados no periódico científico “Veterinary Dermatology”, ampliando o conhecimento sobre as alterações dermatológicas e morfológicas da pele dos cavalos estudados, bem como a avaliação da espessura do tecido e a acurácia do diagnóstico histopatológico utilizando biópsia. O artigo figura na capa da edição de dezembro de 2014 deste periódico e também foi destaque da edição impressa e online da Equus Magazine, publicação americana destinada a proprietários de equinos.

Por fim, no terceiro estudo, publicado no periódico científico “Veterinary Ophthalmology”, foram investigadas possíveis alterações oculares que os cavalos apresentam. “Esta série de estudos é relevante uma vez que permitiu avanço no conhecimento da doença e padronização de diagnóstico molecular, que está à disposição da comunidade veterinária”, comenta Peres Badial. Confirmando o interesse da comunidade internacional nesta enfermidade, a revista The Horse, conceituada publicação americana sobre equinos, destacou os resultados da pesquisa em sua última edição.

Relevância - Um estudo realizado nos Estados Unidos evidenciou que entre 1998 e 2002 a Herda gerou prejuízos diretos e indiretos de aproximadamente 85 milhões de dólares. Embora ainda não se saiba exatamente o impacto direto e indireto que esta enfermidade causa no Brasil, ela certamente possui grande relevância econômica para o mercado nacional do cavalo Quarto de Milha.

As pesquisas relacionadas a essa doença envolvem, principalmente, o diagnóstico precoce e o manejo adequado dos indivíduos acometidos, na tentativa de diminuir a frequência e quantidade de lesões ao longo da vida.

As informações sobre a doença também são relevantes na orientação dos acasalamentos na tentativa de diminuir o número de casos. Além disso, devido à similaridade com a Síndrome de Ehlers-Danlos, uma das formas da doença que acomete os humanos, os cavalos afetados poderiam ser utilizados como modelo animal para o estudo da doença em humanos.

Na FMVZ, o grupo do professor Borges prepara novos projetos sobre o tema, com enfoque nas características relacionadas à capacidade de cicatrização dos cavalos enfermos em comparação a animais não afetados.

Fonte: Agência Fapesp

Deixe um Comentário

Anuncie grátis!

OS MAIS VISTOS

2 35051

As imagens são vistas com certa frequência nos postes e muros de ruas, praças e avenidas. Normalmente, uma cópia de xerox preta e branco...