Home Artigos Pela posse responsável do Pet

Animais de estimação não são brinquedos. Isso significa que, ao pensar em adquirir um cachorro, gato, peixe, ave ou réptil, é preciso considerar fatores atribuídos sem esforço à vida humana, como a necessidade de abrigo, alimentação adequada e convívio. Por isso, a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) defende a posse responsável de animais de estimação.

Em 1978, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) proclamou a Declaração Universal dos Direitos Animais. Em seu artigo nº 6, o documento diz que “cada animal que o homem escolher para companheiro, tem direito a um período de vida conforme sua longevidade natural. O abandono de um animal é um ato cruel e degradante”.

Para evitar que mais um animal seja abandonado nas ruas, antes mesmo de adquirir um pet é necessário pensar no tamanho dele quando adulto, e se será compatível com o espaço de sua casa. A aceitação de todos os moradores também é importante, pois em caso de ausência, sempre haverá um humano para zelar pelo bicho. “Lembre-se: ter um animal de estimação é dar espaço em sua vida para um novo companheiro, que poderá estar com você por entre 12 e 15 anos, talvez mais”, explica José Edson Galvão de França, presidente-executivo da Abinpet.

É de grande importância manter seu pet sob seu comando e responsabilidade. Passeios com seu cão, só com coleira, por razões de higiene, cruzamentos indesejados, doenças, maus-tratos de desconhecidos ou até mesmo agressões vindas do animal que se sente ameaçado. Também é preciso respeitar a personalidade do seu bicho, assim como você faria com um amigo. Há aqueles mais brincalhões, mais calmos, mais tímidos ou sociáveis, ativos ou caseiros.

Pesquise qual raça se adequará mais às suas expectativas e à sua rotina. Custos com alimentação de boa qualidade, vacinações (especialmente nos primeiros meses de vida), banho e tosa, precisam ser incorporados à sua planilha mensal de gastos.

Segundo a Abinpet, o gasto com cães pode chegar, mensalmente, a cerca de R$ 308 quando calculado o valor de ração, vacinas, banho e tosa e controle de pulgas, entre outros. Para raças pequenas, mensalmente, o valor não passa de R$ 133. O gasto geral com gatos é menor, e não supera, em média, de R$ 84,19, com todos os valores computados. Para aqueles que buscam um pet ainda mais econômico, aves, roedores e peixes pesam ainda menos no orçamento. Roedores
custam cerca de R$ 25 mensais; peixes, R$ 18. Já as aves exigem somente R$ 15 mensais.

Animais sentem fome, frio, medo, calor, dor, alegria, precisam de atenção e procuram por afeto, cada um à maneira de sua espécie ou raça. Cabe aos donos zelarem por seu bem- estar, pois um animal de estimação feliz dentro de casa proporciona maior qualidade de vida para todos.

Deixe um Comentário

Anuncie grátis!

OS MAIS VISTOS

2 33343

As imagens são vistas com certa frequência nos postes e muros de ruas, praças e avenidas. Normalmente, uma cópia de xerox preta e branco...