Home Você Sabia? Gatos, tutores e emoções humanas

Gatos, tutores e emoções humanas

Quem pensa que os gatos são animais que se mantêm distantes dos sentimentos dos seres humanos o tempo todo tem agora uma referência para mudar de opinião. Um estudo da Universidade de Oakland, nos Estados Unidos, identificou as primeiras evidências sólidas de que estes felinos também são sensíveis às emoções dos humanos, ao contrário do que diz o senso comum.

O estudo, publicado na revista Animal Cognition, revela que os gatos estão mais ligados aos seres humanos do que se pensa. Os felinos, por exemplo, são capazes de identificar quando seus tutores estão ou não felizes.

Para chegar às conclusões, a pesquisa trabalhou com um universo de 12 gatos com seus tutores. Um resultado claro do estudo é que os animais se comportavam de maneiras diferentes quando o tutor sorria e quando fazia uma expressão de mais triste.

Durante a experiência, quando a pessoa se mostrava alegre, aumentava significativamente a probabilidade de o gato reagir com comportamentos positivos: ronronando, esfregando-se ou se aninhando no colo do tutor. Eles também pareciam desejar mais passar tempo perto do indivíduo quando ele aparentava estar contente do que quando parecia triste.

Segundo a pesquisa, esse padrão de comportamento, no entanto, foi completamente diferente quando os 12 gatos foram apresentados a estranhos, em vez de seus tutores. Nessa condição, os gatos demonstraram ter o mesmo comportamento positivo, independentemente da emoção expressada pela pessoa.

Os resultados sugerem duas coisas: que os gatos podem “ler” as expressões faciais humanas, e que aprendem a fazer isso com o tempo, de acordo com as pesquisadoras, as psicólogas Moriah Galvan e Jennifer Vonk.

O estudo é visto como mais um passo da ciência para entender o comportamento dos animais domésticos com os seres humanos. No caso dos cães, as pesquisas já comprovou que os cães são bons em identificar os gestos do homem. Identificar esta mesma habilidade nos gatos é uma preocupação mais recente dos estudiosos.

Segundo as psicólogas, a descoberta sobre a inteligência emocional dos gatos pode ter demorado para ocorrer porque as reações desses animais são bastante sutis.

Além dos atos obviamente “positivos” descritos anteriormente, Galvan e Vonk notaram que os gatos adotam certas posições corporais e fazem movimentos com as orelhas e a cauda que estão associados à sensação de satisfação.

Apesar de detectar este comportamento nos gatos, ainda é cedo para se chegar a alguma conclusão, pois a ciência precisa ir mais fundo nos estudos.

Os gatos podem ser um dos animais domésticos mais populares do mundo, mas ainda temos muito o que aprender sobre eles. Não sabemos nem por que eles ronronam.Este novo estudo pode ajudar a melhorar a reputação dos felinos de serem indiferentes. Talvez eles simplesmente não demonstrem seu afeto da maneira que os cães o fazem.

Deixe um Comentário

Anuncie grátis!

OS MAIS VISTOS

2 34047

As imagens são vistas com certa frequência nos postes e muros de ruas, praças e avenidas. Normalmente, uma cópia de xerox preta e branco...