Home Artigos Entrevistas Solução para prevenir declínio cognitivo em animais idosos

Para ajudar os animais de estimação a manterem sua capacidade mental na velhice, a Nestlé Purina desenvolveu um suplemento nutricional composto por óleo de peixe e antioxidantes que passará a ser adicionado em alguns produtos da marca nos próximos 12 a 18 meses. O Brain Protection Blend, que ainda está em fase de testes, concentra sua atuação em fatores de risco ligados ao envelhecimento do cérebro e foi criado para ser ingerido por animais de estimação de meia idade.

As pesquisas para o desenvolvimento do Brain Protection Blend começaram a partir de estudos, que indicam que 28% dos gatos entre 11 e 14 anos mostram sinais de declínio cognitivo, inclusive perda de memória e interação social diminuída, e essa proporção aumenta para 50% quando os gatos têm idade acima de 15 anos. Entre os cães, 28% daqueles com idade entre 11 e 12 anos e 68% dos que já completaram 15-16 anos apresentam um ou mais sinais.

“O uso de uma abordagem mais proativa nos permite retardar o declínio das funções cerebrais que os animais de estimação geralmente apresentam quando ficam mais velhos”, afirma Dan Smith, vice-presidente de Pesquisa e Desenvolvimento da Nestlé Purina.

O lançamento do Brain Protection Blend é a segunda fase da dupla abordagem de Purina para enfrentar o declínio cognitivo dos animais de estimação usando técnicas de pesquisa que se concentram na adição de melhorias nutricionais ao alimento para o animal. A primeira fase focou o desenvolvimento de uma nutrição específica para os neurônios, com uma combinação de nutrientes derivados de óleos vegetais, como o óleo de coco, e se concentrou em melhorar a função da memória em cães idosos.

A empresa está ampliando a pesquisa para descobrir opções nutricionais que fortaleçam as habilidades cognitivas em uma idade mais jovem e promovam a saúde do cérebro no longo dos anos. Os cientistas, veterinários e nutricionistas da Nestlé Purina estudam os efeitos do envelhecimento nos animais de estimação desde 1986, quando a empresa iniciou o inovador “Estudo do Tempo de Vida” com relação às dietas caninas.

Envelhecimento - De acordo com uma pesquisa de abril deste ano realizada pela empresa de pesquisa de mercado Penn Schoen Berland e apresentada pela Purina, mais de 37% dos donos de cães têm um cachorro com mais de sete anos de idade. Isso significa que um número maior de donos de cães enfrentará, em breve, problemas relacionados com a saúde de seu animal devido ao declínio cognitivo.

Os donos de animais de estimação frequentemente associam os problemas de mobilidade de seus animais com problemas físicos que advém com a idade avançada, sem imaginar que muitos deles podem ser decorrentes do declínio cognitivo. Isso pode resultar em animais que esquecem de desempenhar funções habituais, como usar a caixa de areia ou achar a tigela de comida.

“Os humanos compreendem que nutrientes adicionais são necessários para uma vida saudável, portanto é fundamental que os donos de animais de estimação estejam cientes que avanços nutricionais semelhantes estão disponíveis para seus animais, ajudando-os a retardar as mudanças associadas com o envelhecimento”, finaliza Dan Smith.

Deixe um Comentário

Anuncie grátis!

OS MAIS VISTOS

2 33252

As imagens são vistas com certa frequência nos postes e muros de ruas, praças e avenidas. Normalmente, uma cópia de xerox preta e branco...