Home Artigos Cachorros idosos aprendem, sim!

Quantas vezes você já ouviu que “cachorros velhos não aprendem” ou que “adotar um cão idoso é uma ideia ruim”? Pois bem, hoje queremos te mostrar que os cachorros idosos podem fazer muito mais do que as pessoas acreditam e que não devemos nos dar por vencidos tão rapidamente com sua aprendizagem. Todo animal de estimação merece uma oportunidade e cães idosos não são uma exceção.

É preciso entender, primeiro, que os cinco sentidos dos cães são afetados durante a velhice – assim como acontece com os humanos. Isso significa que eles podem já não ver ou ouvir tão bem quanto antes. Além disso, eles também podem sofrer de dores e incômodos  que vêm com a idade, como a artrite. Temos, portanto, que ter paciência e tratá-los com cuidado. Se você acredita que o seu cão sofre de alguma incapacidade física que o impede de aprender, é bom sempre consultar um médico veterinário.

Como ensinar - Os cachorros mais velhos podem aprender do mesmo jeito que os filhotes. Este processo pode ser até mais simples, uma vez que eles já têm a atenção mais focada e não dispõem da mesma energia e dispersão de um cão jovem. O mais importante é a repetição, a paciência e fazer sua parte.

Uma sugestão é fazer passeios curtos com o seu companheiro e ensinar-lhe um truque novo de cada vez (sentar, rolar ou dar a pata). Isso pode ser um grande estímulo físico e mental para os cães. A maneira mais comum de ensiná-los é começar com o básico e ir aumentando aos poucos a complexidade. Por exemplo: se quer que o seu cachorro dê a pata, comece recompensando-o sempre que ele se sentar. Depois de alguns dias ou semanas, quando ele já estiver obedecendo, você pede um esforcinho a mais: que ele tire uma das patas do chão. O seguinte passo seria esticá-la sobre sua mão. Essas interações fazem com que o animal se sinta parte de sua vida e cria um vínculo – que beneficia não apenas o cachorro, mas também você.

O que preciso saber? - De forma geral, os cães de raças ou portes grandes como labradores, rottweillers e dinamarqueses vivem menos anos dos que os de raça pequena como chihuahuas, pinschers, poodles e SRDs de porte pequeno. Ou seja, se você tem um cão grande, ele pode envelhecer muito mais rápido do que um de pequeno.

A velhice pode tornar o seu cão menos ativo e mais lento. Em outros casos, a idade pode trazer doenças degenerativas. Esse é um processo natural parecido com o que vivenciamos como humanos. E significa que, assim como nós, os animais também precisam de cuidados especiais para sentir-se bem nesta etapa da vida. Entre os cuidados que se deve ter com cães mais velhos estão:

• Fazer visitas regulares ao veterinário: Todo cachorro e especialmente cães mais velhos precisam ser examinados ao menos uma vez ao ano. Isso é importante, pois algumas doenças só se manifestam ou são notadas em um estágio mais avançado, como tumores e insuficiência renal, cardíaca ou hepática.

• Pedir uma minuciosa avaliação do escore corporal em cada visita: Identificar se seu animal está acima ou abaixo do peso é essencial, o sobrepeso pode sobrecarregar as articulações e a coluna.

• Dar uma alimentação adequada à sua idade e estado de saúde: Existem alimentos específicos para cães mais velhos e alguns, inclusive, que ajudam a evitar enfermidades (problemas de coração, de fígado etc.) Procurar oferecer um alimento que ele possa comer sem dificuldades, caso tenha algum problema ou falta dentária.

• Oferecer suplementos se for necessário: por exemplo, a glucosamina e/ou a condroitina são usadas para aliviar os sintomas da artrite. Consulte seu veterinário.

• Cuidar muito bem da saúde bucal e  dentes do seu cão: Escove bem os seus dentes (sim, você leu direitinho!) e leve o seu cão todo ano para avaliação bucal e se necessário limpezas bucais.

• Fazer exercícios: leve-o para fazer passeios curtos regularmente.

• Oferecer brinquedos: para que ele se mantenha ocupado, principalmente se o seu cão tiver que ficar sozinho por muitas horas.

• Dar “confortos” extras, como uma cama ou cobertor: lembre-se que cachorros velhos podem ter artrite. Eles precisam de superfícies macias e isoladas do frio.

• Tomar cuidado com os arredores: evite deixá-lo em locais com piso escorregadio ou com escadas íngremes, pois a sua capacidade de locomoção pode estar prejudicada.

Nunca abandone seu cão, este é o momento em que ele mais precisa de você. Pense que um dia todos nós envelheceremos e vamos querer estar com nossos melhores amigos por perto para nos ajudar e confortar.

Finalmente, considere adotar um cão mais velho quando for escolher um animal de estimação. Muitos cachorros são descartados como opção simplesmente porque as pessoas acham que serão mais difíceis de educar. Ao adotá-lo, você estará dando um lar a um animal que realmente precisa.

Os velhinhos agradecem!

Fonte: World Animal Protection

Deixe um Comentário

Anuncie grátis!

OS MAIS VISTOS

2 33343

As imagens são vistas com certa frequência nos postes e muros de ruas, praças e avenidas. Normalmente, uma cópia de xerox preta e branco...